• Da Redação

Olodum homenageia 20 mulheres com Troféu UJAMAA

Evento aconteceu na última quarta-feira no Teatro Castro Alves como parte da programação do FEMADUM

Foto: Márcio Carqueija Arnaut da Cruz

A abertura do Festival e Música e Artes Olodum, o FEMADUM 2020, emocionou e entrou para história do Olodum. Com diversas autoridades como políticos, artistas e autoridades do movimento negro a edição 2020 o Troféu UJAMAA foi dado a 20 mulheres que contribuem para a defesa, preservação e promoção da cultura e das tradições afro brasileiras.


Criada pelo Bloco em 1986 para premiar durante o FEMADUM a noite contou com nomes como as cantoras Daniela Mercury e Tânia Santana (primeira cantora do Olodum), Hildete Lima (Dete do Ilê) – fundadora do Bloco Afro Ilê Aiyê - Rachel Maia (CEO da Lacoste), Sahle-Work Zewde (diplomata e presidenta da Etiópia), Vera Lacerda (Vera do Ara Ketu), Fernanda Moreira (jornalista criadora do projeto Ladrilha) e Katia Melo – Pedagoga e ex-diretora do Bloco Afro Olodum.  O termo Ujamaa é uma palavra da língua suahili, uma das muitas faladas na antiga Tanganica, hoje Tanzânia e deve ser entendido como grande família.


Especialmente em 2020, em função do tema do carnaval do Bloco Olodum “Mãe, mulher Maria – Uma história das mulheres”, as homenagens foram exclusivas para as mulheres. O troféu foi entregue em parceria com a revista Raça Brasil. O evento marcou o início da edição 2020 do FEMADUM, Festival de Música e Artes Olodum, que tem como tema Návigum Izidis (o Navio de Ísis). Além das entregas, o evento contou com encenações teatrais, dança e música.


TROFÉU UJAMAA – Trata-se de uma honraria criada para premiar, durante o FEMADUM, personalidades negras ou não, por destacada contribuição à defesa, preservação e promoção da cultura e das tradições afro brasileiras.


O Troféu Ujamaa é oferecido a personalidades que com a sua atuação, quer seja política, acadêmica, artístico-cultural, científica ou em qualquer outro campo da ação humana tem dado contribuição significativa para a luta anti-racista, para a defesa dos direitos humanos e civis, para a elevação da autoestima dos afro descendentes, bem como para a preservação, valorização e difusão da cultura afro brasileira. Pierre Verger foi uma das personalidades homenageadas com a honraria, em função da sua contribuição por meio das mais de 60 mil fotografias, textos, roteiros de documentários e livros sobre a religiosidade afro brasileira.


Mãe Stela de Oxossi, a Major Denise Santiago (criadora da Ronda Maria da Paz), Dadá (mulher de Corisco e do bando de Lampião), Harlem Désir (criador do SOS Racismo/França), Mestre Didi Alapini, o Mestre Neguinho do Samba (criador do ritmo do samba reggae), a ex-governadora do Rio, Benedita da Silva, o cacique Juvenal Payayá, o ativista negro Abdias do Nascimento e a Makota Valdina Pinto, além de mais de duas centenas de personalidades e instituições, foram algumas das personalidades reconhecidas e homenageadas pelo Olodum.

FEMADUM – Festival de Música e Artes Olodum 2020 Dias: 25 e 26 de janeiro de 2020 (Sábado e Domingo) Horários: das 13h às 17h Aberto ao público

RECEBA MEUS EMAILS

© por Kadu Brandão. Ih, Miga! - Desde 2016

  • Branca Ícone Spotify
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Spotify
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube