• Klara Argento

Já vale shippar Trombada e Chefe?

Foto/Reprodução: TV Globo


O público já percebeu que está pintando um clima entre Trombada (Marcelo Flores) e Chefe (Alessandro Brandão), em ‘Quanto Mais Vida, Melhor!’. Depois do término conturbado com Teca (Karina Dohme), Trombada foi acolhido por Chefe em um encontro numa Pulp Fiction vazia, com direito a uns bons drinques e uma dança cheia de chamego. Nos próximos capítulos, essa aproximação vai ser cada vez maior...

A guinada nessa relação virá quando Mister conseguir uma importante vitória com o time do América, dedicando a conquista à administradora da Pulp Fiction. Nessa altura, já apaixonados, o casal enfim se firma. Portanto, já está mais que autorizado shippar! As cenas estão previstas para irem ao ar no capítulo 111.



Em entrevista, Marcelo Flores fala sobre a nova fase em que entram os personagens, a parceria com Alessandro Brandão e destaca a recepção do público com seu Trombada.


Marcelo revela se o público já pode shippar Trombada e Chefe e o que se pode esperar dos próximos capítulos. “Sim, o público pode shippar e torcer pela felicidade do casal, mas vindos de universos tão diferentes é natural que aconteçam alguns desencontros até porque Trombada é tosco, sem muita noção das coisas e, até pra viver um romance, ele se atrapalha todo. Tem cenas divertidas com o casal em restaurante chique, na Pulp Fiction etc.”

Ele fala o que acha de interessará destacar da relação entre os personagens. “A relação deles se dá de uma forma delicada, leve, às vezes humorada, um encontro inesperado de dois corações machucados, que se transforma numa relação de companheirismo e afeto. Acho que a simples existência da relação em si é de um valor artístico e humano que contempla a diversidade, a inclusão e a visibilidade sem entrar em maiores questões ou debates.”




Marcelo descreve como foi a parceria com o Alessandro. “Alessandro é um colega maravilhoso, divertido e muito sensível. É um artista de formação, com trajetória que perpassa outras linguagens como a dança e a música. Conversamos muito, trocamos muitas referências e pontos de vista e ele me ajudou muito, especialmente nas questões de identidade, gênero, sexualidade, performance... Tudo pensando na melhor forma de contar essa história para que o público se envolva e aprecie.”

Ele explica como tem sido a recepção do público com a Trombada. “Desde a aparição da personagem tenho recebido (aqui em Salvador, onde moro, ou pelas redes sociais) ótimos retornos, elogios, comentários em forma de piadas pelos trejeitos do Mister, pelas situações com Neném, que o público adora e torce pela amizade deles, ou pelas enganações de Teca com ele. Agora com a Chefe, estou ansioso pela recepção e acredito que pelo carinho recebido pelas personagens será um encontro muito especial.”